Desenvolvimento Pessoal

Há Tempo Para Tudo

tempo

Há tempo de andar, de fazer, de acontecer…

Há tempo de pensar, entender, refletir…

Há tempo de aceitar, abraçar e acolher…

Há tempo de mudar, desapegar, progredir…

E há tempo de parar, respirar e acreditar…

 

A vida é feita de ciclos, sempre há algum ciclo começando e outro se fechando, e sempre haverá novos ciclos chegando.

É preciso estar presente, verdadeiramente presente, para entender que um ciclo se fecha. Essa presença, essa consciência, não é nada fácil, primeiro porque consciência é algo difícil de se ter, visto que, estamos sempre correndo aqui e acolá para as “obrigações da vida”, e isso (consciência, presença) pode parecer perda de tempo. Segundo porque fechar ciclos dói, deixar para trás é sinal de evolução, e evolução dói, dói porque significa mudança, significa sair da zona de conforto…e isso realmente dói.

Quando não percebemos que o ciclo está fechando, ou quando não permitimos que ele feche, naturalmente ele volta…a gente passa a reviver situações muito parecidas com as do passado. Não entender, não refletir sobre o momento e não permitir que novos ciclos se abram, significa não permitir a nossa evolução, o nosso progresso. É como repetir de ano, teremos ou escolhemos, inconscientemente, reviver para aprender.

Estamos no final de um grande ciclo. De acordo com a numerologia e a astrologia, 2016 é um ano importantíssimo, pois, além de encerrar todo um ciclo planetário, é um ano nove, número que também indica final de ciclo.

Todos os finais de ciclo veem acompanhados de perdas e renúncias, todo final de ciclo dói muito. Você, assim como eu, talvez esteja sentindo essa dor, essa necessidade de mudança, essa necessidade de desapegar, de deixar ir, de refletir e entender, aceitar e abraçar o novo, de mudar, progredir e voltar a andar, a fazer acontecer.

Eu parei…percebi que era o momento de parar, de me entender, entender o que a vida me trazia de novo, coisas e bênçãos que eu acreditava não estar preparada para receber. Confesso que não prestei atenção o suficiente no fechamento do meu ciclo, não estive presente para esse fim…meu ego estava no comando, e eu acreditava controlar tudo…essa necessidade de controle, inerente a nós seres humanos, é perigosa, nos faz acreditar que tudo sairá como planejamos, desejamos…criamos expectativas que vão além do entendimento da vida, e não é assim que se VIVE.

Planejar é preciso, planejar é um passo após os sonhos, quando planejamos tiramos o sonho do pensamento e o tornamos um objetivo, quando temos objetivos e lutamos por eles, somos fortalecidos pela energia da vida, pela energia do movimento da vida, nos movimentamos na direção do que desejamos, e se esse desejo está em alinhamento com as bençãos do universo, esse trabalhará em nosso favor. Precisamos disso! Precisamos de sonhos e objetivos, precisamos nos movimentar, fazer circular a energia da vida e ajudar o universo a nos ajudar. Contudo, não temos controle sobre acontecimentos externos, não conseguimos controlar o mundo, as pessoas, a natureza…nosso único controle é sobre nós mesmas. Planejar é preciso, ter controle sobre o todo não.

Eu parei para entender o meu ciclo, entender o que eu precisava deixar ir… entender e acolher o que a vida me trazia de novo e aceitar que eu não estava no controle do todo, mesmo sabendo de tudo isso, a gente se engana. Eu parei para entender, porque sem entender a gente não consegue planejar. Você já se pegou tentando planejar a sua vida e tendo dificuldades com isso? Se sim, tente primeiro entender o seu atual momento e o seus ciclos, tente entender o que você precisa deixar para trás para seguir.

Dói fazer isso, dói entender que você precisa parar, dói porque a gente quer controlar. Parar para entender e refletir, nesse mundo frenético no qual vivemos, significa estagnação, e não podemos perder tempo, temos que produzir, a gente se sente mal quando para, se sente culpada, preguiçosa…mas há tempo para tudo, e o tempo de parar para entender é preciso, só com ele – tempo – que a gente percebe e fecha o ciclo, e é com ele – tempo – que abraçamos e acolhemos a mudança…o novo ciclo.

Eu parei para pensar sobre as minhas sombras que estão sendo trazidas à luz, parei para pensar sobre os processos internos e externos que precisam ser encerrados e quais estão doendo tanto a ponto de me fazer querer continuar com eles, por quê? Por que eu não quero deixar ir? Será que eu estou revivendo o passado? O que eu preciso aprender com isso?…Eu parei porque eu não podia continuar sem entender.

Parei a minha rotina frenética, parei de me cobrar, parei para SER generosa comigo, parei para entender, refletir, acolher, aceitar, desapegar e até sofrer, porque eu senti que era preciso, eu dei voz ao meu eu interior, que gritava dentro de mim. Eu estava sentindo dor, tristeza, angústia…E eu precisava entender. Toda tristeza, toda dor é um sinal da vida, a gente tem que sentí-la, é a vida dizendo que algo precisa mudar, a gente precisa senti-la, vivê-la…a nossa resistência a essa dor, a essa mudança é que faz o processo ser mais vagaroso, mais doloroso, e faz com que revivamos ciclos, sem assim evoluir. Por isso eu parei, para sentir, para sofrer, entender, e deixar ir…

 

Há tempo de andar, de fazer, de acontecer…

Há tempo de pensar, entender, refletir…

Há tempo de aceitar, abraçar e acolher…

Há tempo de mudar, desapegar, progredir…

E há tempo de parar, respirar e acreditar…

 

E esse final de ano, final de ciclo para mim é tempo de parar, respirar, acreditar na sabedoria divina, ser grata pelos aprendizados, pela consciência, pela vida que me rodeia, pela energia que me circula. Para mim é tempo de aquietar e receber o fim de um grande ciclo, que eu achei que já tinha fechado, mas que não, eu só estava em processo.

Esse final de ano a vida me trouxe surpresas, e eu sei que preciso iniciar um novo ciclo com muito mais coragem, com muito mais vida, mais sabedoria, mais gratidão e mais entendimento. Sei que o ciclo que se inicia vai exigir muito de mim, muito mais confiança e força do que já tenho. E eu desejo estar presente para cada passo desse processo, por isso eu parei e silenciei.

Escrevo esse texto para compartilhar, para informar e para te convidar a fazer o mesmo, se você também estiver sentindo essa necessidade de mudança, de reflexão, de aceitação e evolução, vem comigo partilhar desse momento de parar, de refletir, de desapegar, deixar e se preparar para a entrada do novo ano e do novo ciclo.

Eu só estarei de volta as redes sociais, ao e-mail e aqui no blog no final de janeiro, esse foi o tempo que dei para mim, eu preciso dele e ele de mim, então estaremos juntos nesse processo até essa data. Na volta, tenho certeza que estarei mais fortalecida, mais criativa, mais confiante e com mais clareza para te inspirar nesse novo ano.

Desejo que seu processo seja tão profundo e verdadeiro quanto o meu está sendo e desejo que você encontre nessa reflexão aquilo que procura, desejo renovação nesse final de ano, desejo esperança e muita luz ao seu EU interior. Desejo que você possa se reencontrar para seguir seu novo ciclo, para que comece 2017, um ano de novos inícios, com muitos sonhos, objetivos e com muita força, confiança e vontade de fazer acontecer, desejo que a energia da vida circule nas suas veias a faça você SER a sua melhor versão nesse novo ciclo.

 

Para te ajudar nesse sentido, vou compartilhar contigo o exercício que recebi de uma querida amiga e colega de profissão. É um exercício que vai te ajudar a cocriar o que você quer realizar em 2017. Eu tenho feito, e isso tem me ajudado muito a acender a luz que preciso dentro de mim mesma. Te convido a se abrir ao exercício e a sua necessidade de mudança e receber com carinho e amor esse presente.

Cocriando 2017

💫Primeiro: fique em silêncio, se interiorize e convide seu Eu Superior para guiá-lo. Peça para que sua visão se expanda e você possa ver na sua tela mental imagens das cenas que deseja manifestar neste ano que virá. A partir desse pedido, o seu querer estará conectado a algo maior e não a desejos menores do ego.

💫Segundo: lembre-se de manter seu foco no positivo, no que deseja criar e não naquilo que você deseja eliminar. Feito isso, assista a essas cenas acontecendo na sua tela mental e perceba como você se sente. Este é o momento de checar internamente e responder: Eu vibro alegria e amor assistindo a isso?

💫Terceiro: se a resposta for positiva, imagine então que uma porta de vidro se abre e você entra nessa cena. Sim, imagine que você entra na sua tela mental e passa a viver tudo isso, aqui e agora. É chegado o momento de afirmar positivamente aquilo que está acontecendo, por exemplo: “Meu relacionamento está em equilíbrio, nos amamos e respeitamos sincera e completamente”.

💫Quarto: faça o mesmo para cada cena diferente que você está cocriando. Entre na tela mental, sinta e declare positivamente o que está acontecendo. Talvez você sinta também arrepios pelo seu corpo – isso é um sinal de que suas células estão vibrando! Um bom sinal. 😉

💫Quinto: agora deixe essas cenas, volte a se interiorizar e peça ao seu Eu Superior para trabalhar com você diariamente. Dê permissão a Ele para cutucá-lo com ideias e lembretes do que você deve saber. Peça coragem, sabedoria e a concentração no coração, necessárias para criar o novo ano revolucionário.

💫Sexto: afirme para si mesmo “Eu resgato meu poder de cocriação, eu escolho uma vida repleta de amor, prosperidade, saúde, alegria. Eu sou o cocriador.”

 

Beijos de LUZ para VIVER MELHOR!

 

Receba novidades direto no seu email!

Veja também

0 Comentários

Deixe uma resposta